Jora Blog

Você está engajado na vida e na carreira?

Ivani Montagner | Jul 19, 2017

Nas organizações fala-se muito sobre engajamento: há muitos dados e pesquisas a respeito do tema. Por que as empresas se dedicam em promover o engajamento dos colaboradores? Por que é importante estarmos engajados? Afinal, o que é engajamento no ambiente corporativo?

Wilmar Schaufeli e colegas definem o engajamento como um estado mental positivo e gratificante relacionado ao trabalho, caracterizado por vigor, dedicação e absorção. E quais os benefícios de ter colaboradores engajados para a organização?

A consultoria global Hay Group investigou as vantagens do engajamento para as empresas: aquelas com uma força de trabalho altamente engajada possuem, em média, receita 4,5 vezes superior à de organizações com um menor índice de engajamento. Funcionários engajados são 2,5 vezes mais propensos a apresentarem performance superior à de seus colegas menos engajados. Eles podem elevar em 30% a performance do negócio.

O engajamento é bom para as empresas e também para o profissional. Se você estiver engajado com sua empresa, seu nível de satisfação com o trabalho é mais alto. E quanto mais engajado você estiver, mais eficiente e direcionado para o sucesso você será. Profissionais engajados apresentam uma performance mais elevada e demonstram mais paixão e interesse por seu trabalho, diz a Wyatt Watson Survey. Como a vida profissional ocupa a maior parte do nosso dia, o resultado do engajamento afeta também outras áreas da nossa vida, gerando mais bem-estar e satisfação.

Os benefícios do engajamento no trabalho são extensos e amplamente reconhecidos. Apesar disso, pesquisas reportam que os números de pessoas engajadas no trabalho são pequenos. Pesquisas do Instituto Gallup apontam:

13% estão engajados

A cada oito trabalhadores no mundo está engajado, ou seja, está profundamente envolvido com seu trabalho e empenha esforços voluntários para contribuir positivamente com sua organização.

63% estão desengajados

Baixa motivação, performance mediana e menor disposição para contribuir. Correspondem a mais ou menos 900 milhões de pessoas no mundo, considerando que a força de trabalho no mundo está em torno de 1,4 bilhão de pessoas.

24% estão ativamente desengajados

Insatisfeitos, improdutivos e que tendem a contaminar os colegas com sua negatividade. Correspondem a cerca de 340 milhões de pessoas.

Os funcionários desengajados atuam abaixo de seu potencial, predispostos à frustração e às fragilidades que esta circunstância proporciona. O custo do desengajamento é alto para a economia dos países. Nos Estados Unidos, no Reino Unido e na França este custo fica na casa dos bilhões.

Como aumentar o engajamento e aproveitar os seus benefícios No livro “Engajamento Total! Flora Victória e Villela da Matta nos oferece um caminho e Brian Tracy nos presenteia com uma narrativa recheada de ações que promovem o engajamento com o trabalho e com a vida.

No modelo criado por Flora e Villela, embasado na filosofia, na psicologia positiva e na neurociência

“Engajamento total é uma conexão física, emocional, cognitiva e social que se desenvolve quando estabelecemos uma relação imbuída de propósito com os diferentes aspectos de nossa vida, gerando, assim, um esforço voluntário direcionado a objetos”.

O modelo do engajamento total propõe uma visão holística de como nos relacionamos com nossa vida. Segundo esse modelo, o engajamento com a carreira e com a vida são interdependentes e afetam-se mutuamente explicam Flora e Villela:

“Uma pessoa engajada com o trabalho, mas desengajada com a vida, poderá experimentar problemas como a tendência ao workaholismo, desequilíbrio entre o pessoal e o profissional, baixos níveis de bem-estar e de satisfação no que diz respeito aos aspectos pessoais de sua existência e outras questões que, com o tempo, acabarão por se refletir negativamente em seu desempenho profissional”.

Já a pessoa engajada com a vida e desengajada com o trabalho poderá não dispor de recursos para viver uma vida da maneira que considera satisfatória, como também poderá experimentar um vazio por não vivenciar satisfatoriamente parte importante da vida que é o trabalho.

O engajamento total envolve quatro dimensões:

  1. A física, que é o vigor, a energia dispensada ao que se está fazendo.

  2. A emocional, que é a dedicação, colocar “o coração” no que será realizado e ao sentimento de orgulho gerado.

  3. A social diz respeito à qualidade das relações que você mantém e isto vai refletir no tipo de apoio que vai obter para fazer coisas que não poderá fazer sozinho ou na melhoria dos resultados se fizesse com o apoio de outras pessoas.

  4. A cognitiva se refere a absorção, ao foco e à concentração nas atividades que você está executando.

As quatro dimensões atuam em conjunto. Isso significa que essas dimensões podem afetar positiva ou negativamente umas às outras, caso sejam estimuladas ou reduzidas. Se o vigor é reduzido, há uma diminuição no engajamento emocional, social e cognitivo, pois faltará energia para se envolver de coração ou nutrir bons relacionamentos ou manter foco e concentração. Num reduzido engajamento cognitivo, o esforço dispensado é grande, para obter a concentração, gerando estresse e fadiga mental, afetando negativamente as outras dimensões. O baixo engajamento emocional diminui a motivação, o bem-estar e a frequência das emoções positivas, levando ao desânimo e desinteresse. O baixo engajamento social pode gerar falta de apoio, colaboração, ansiedade, depressão.

Qual o seu nível de engajamento com sua vida e sua carreira?

O engajamento com a vida pessoal compreende os seguintes elementos: família e círculo de relacionamentos; comunidade; crescimento e evolução; saúde física e psicológica. Já, o engajamento com a carreira envolve: a empresa; a liderança; o trabalho e as tarefas; o time e os colegas.

O engajamento funciona como um sistema. Quando elementos não estão alinhados poderão surgir dificuldades. Por exemplo, o engajamento com alguns destes elementos e não com outros pode gerar consequências para a vida do indivíduo. Uma pessoa engajada com o trabalho e não com a liderança e com a empresa, fará o seu trabalho bem feito, mas a falta de engajamento com a chefia poderá trazer atritos e discordâncias que acabará por afetar a qualidade do seu trabalho. Se a pessoa é engajada com o time, mas não é engajada com a organização, sua boa performance será afetada quando a empresa propuser mudanças que poderão ser interpretadas como uma ameaça ao time, pois sua identificação maior é com o time.

No engajamento com a vida, a pessoa pode estar engajada com a família e o círculo de relacionamentos e desengajada do seu próprio crescimento e evolução. Como resultado, esse indivíduo poderá perder oportunidades para seu auto crescimento em favor do de outras pessoas. Se o engajamento for com a comunidade e o desengajamento for com sua saúde física e psicológica, a pessoa poderá estar debilitada e afetar o seu trabalho com a comunidade. Dentro deste conceito, se um destes elementos não estiverem presentes o engajamento será parcial.

Refletindo: Como é o seu engajamento com cada um dos elementos de sua vida pessoal e carreira? Aproveite para analisar como você expressa o seu engajamento ou desengajamento com cada um deste elementos. Que benefícios você poderá alcançar aumentando o seu engajamento? Anote tudo o que vier à sua mente. Se você é líder de uma equipe, reflita sobre seu papel no engajamento do seu time. O que faz com que se sintam engajados com a empresa e com a sua liderança? Em relação aos seus pares, por que vale a pena tê-los como colega de trabalho? Você acredita que eles se sentem engajados com você? Por quê?

“As pessoas escolhem se engajar” (Weber Shandwick, The Science of Engagement). As pessoas se engajam com o que vale a pena para elas. Elas empenham seus esforços, sua contribuição, naquilo que veem valor. O engajamento não é algo que você coloca em contrato e as pessoas cumprem. O engajamento deve ser conquistado.

As empresas devem criar condições favoráveis ao engajamento que vão desde remunerações, benefícios, bom clima organizacional, vivência dos valores organizacionais, exemplo e confiança transmitidos pela liderança, além de oportunidades de desenvolvimento e aprendizado.

O engajamento beneficia as organizações e os colaboradores. O que faz você se engajar? Em seu vasto estudo sobre o engajamento total Flora Victória e Villela da Matta verificaram estar inclusos “…o uso que você faz de suas forças; seus níveis de autodeterminação e auto eficácia; seus valores, propósitos e o significado que você encontra naquilo que faz; seu grau de resiliência para lidar com o que der e vier; e suas oportunidades de se desafiar, de crescer e de desenvolver competências para superar desafios.”

O engajamento total prevê o engajamento com a vida e o trabalho ocupa boa parte da nossa vida. Usar nossas forças para expressar nossa identidade na realização de algo que acreditamos vale a pena.

Fonte: Engajamento Total! Villela da Matta - Brian Tracy – Flora Victória

Gostou deste artigo? Comente abaixo! Compartilhe com seus amigos! Terei o maior prazer em trocar ideias com você.

Ivani Montagner

Ivani Montagner

Ivani é Coach Executiva e membro da Sociedade Brasileira de Coaching.