Jora Blog

Quais tipos de experiência as top 50 empresas dos EUA estão buscando

Jora Brasil | Jun 14, 2017

De acordo com os líderes de recrutamento das top 50 empresas dos EUA (no Linkedin), quais os tipos de experiência que eles buscam nos profissionais

Maya Pope-Chappell - Senior News Editor at LinkedIn | WSJ Alum

Antes empresas distintas precisavam de tipos de pessoas diferentes. Um gerente de Recursos Humanos de uma transportadora jamais cruzaria caminhos com uma empresa de talentos de mídia. Porém, na última década, a tecnologia tem transformado todas as empresas e dinâmicas competitivas, de modo que esses caminhos estão se fundindo. Enquanto a habilidade de liderar, colaborar e comunicar ainda são cruciais para encontrar um emprego, ter experiência com as últimas e mais recentes habilidades tecnológicas é o que chamará a atenção dos gerentes de contratação das mais importante empresas para o seu currículo.

Isso é o que ouvi depois de entrevistar líderes de Recursos Humanos de 25 das Top 50 empresas nos Estados Unidos. Das gigantes - de indústrias de tecnologia e finanças, consultoria e mídia - todos querem a mesma coisa: pessoas com experiência em aprendizagem de máquina, cibersegurança, análise de dados e tecnologia em cloud. E as profissões em mais demanda são: engenheiros e cientista de dados com essas experiências.

“As habilidades de tecnologia de ponta são relativamente escassas e muito procuradas”, disse Karla Samdahl gerente global de aquisição de talentos executivos da Cisco.

À medida que novas tecnologias como análise preditiva e inteligência artificial se consolidam, as empresas têm que procurar talentos que os ajudem a se manter em pé e seguir na liderança. “Nós estamos buscando por engenheiros de software e cientistas de dados - agentes de mudança que queiram lidar com a transformação do comércio digital permitindo a inovação na forma de pagamento através de smartphones, tablets e até mesmo carros e eletrodomésticos”disse o vice-presidente executivo da Visa, Michael Ross.

“Até mesmo posições fora da área de Pesquisa e Desenvolvimento requerem um certo nível de conhecimento e fluência tecnológica. Na JPMorgan Chase & Co. por exemplo, banqueiros precisam saber mais do que apenas números. “À medida que nossos clientes evoluem e simples transações continuam a migrar para o digital, nós buscamos mais e mais banqueiros com maior habilidade de relacionamento, de resolver problemas complexos e com mais conhecimento tecnológico.” disse o chefe de RH da empresa, John L. Donnelly.

A mesma afirmação é verdadeira também na Deloitte, onde os “3 Ds: Data (dados), Digital (digital) and Disruption(perturbar/interromper),” não são apenas um ditado interno, mas a descrição de habilidades que são novas no mercado e difíceis de encontrar para a empresa. “Esses 3 Ds são a nossa nova estrela guia na medida em que pensamos nos contribuintes do futuro.” Disse Heidi Soltis-Berner, Gerente diretor e Aquisição de Talento da Deloitte University.

Recrutar para produtos e idéias do futuro é incrivelmente difícil, diz Magda Yrizarry Vice Presidente Senior, Aquisição de Talentos e Oficial de Diversidade da Verizon Communications Inc. Você está procurando por pessoas que têm habilidades difíceis de serem definidas - ou você precisa das pessoas as quais inventarão elas mesmas essas habilidades. Isso é particularmente verdade na Verizon, que está liderando a tecnología 5G. Para encontrar talentos, Yrizarry diz, “Você contrata pessoas que no passado foram capazes de mudar o rumo da tecnologia. Elas talvez não tenham alterado a curva do 5G, mas criaram as interações iniciais como IoT ou cibersegurança. Desta forma tem-se a confiança de que essas pessoas não estão olhando para o passado e podem criar o futuro.”

A concorrência para essas novas habilidades e posições relacionados à elas é acirrada. Na Square, engenheiros com experiência em aprendizagem de máquina e em ciência de dados, bem como desenvolvedores front-end, estão em alta demanda. “Eu acho que muitas empresas de tecnologia estão procurando tipos semelhantes de pessoas”, disse Taylor Cascino, Chefe de Aquisição de Talentos da Square. “Portanto, nos encontramos concorrendo com outras empresas [de tecnologia] a maior parte do tempo”.

Para empresas pequenas como a Square, atrair talentos significa competir com gigantes da indústria. Para se destacar, especialmente do lado da engenharia, Cascino diz que a missão da empresa de ajudar pequenas empresas a adquirir sucesso ajuda. “É um pouco diferente do que ajustar pixels em sites de redes sociais. Não estou dizendo que não tem valor, apenas que é menos tangível.

Na Workday, a compania ainda está trabalhando para fazer da marca melhor empresa para se trabalhar no mundo da tecnologia. “É diferente se você é o Google ou o Facebook onde as pessoas imediatamente sabem que trata-se de um ótimo lugar para se desenvolver como “tecnólogo”. Mas acredito que estamos desenvolvendo a nossa marca de empregador como um lugar onde os tecnólogos gostariam de desenvolver suas carreiras.

De acordo com o Linkedin, de todos os funcionários das Top 50 empresas nos US, quase metade têm bacharelado, 18% tem um mestrado e 4% tem doutorado. 23% dos funcionários dessas empresas não listam a graduação em seus perfis no Linkedin.

Para alguns líderes do departamento de RH desta companias, não são necessariamente as habilidades que é difícil de encontrar, a dificuldade está em recrutar com diversidade - incluindo mulheres e pessoas de diferentes origens - com essas habilidades. Enquanto alguns citaram essas dificuldade, outros dizem que é uma questão de saber onde estão os talentos com diversidade. “Uma área [no processo de contratação] que tem mudado é o foco em diversidade e inclusão, que tem influenciado muito as nossas estratégias”, disse Ross da Visa. “Você precisa ir onde o talento está”. Para a Visa, isso significa direcionar recursos de contratação para eventos como Convenção Nacional da Sociedade de Engenheiros Negros.

Uma análise de habilidades de funcionários nas Top 50 empresas no Linkedin US, reforçou o que eu ouvi desses líderes de recrutamento. Experiência com tecnológicas não são apenas as que crescem mais rápido entre os funcionários, mas são também as mais buscadas por recrutadores.

Essas experiências incluem programação Web, seguidas de gerencia em engenharia de software e desenvolvimento Java. Tecnologia cloud juntamente com análise estatística e data mining também estão no topo do rank.

Entre as habilidades tecnológicas mais buscadas com a função de engenheiro, estão as de programação Web, seguidas de desenvolvimento Java development e linguagem C/C++, Cloud computing e aprendizagem de máquina.

Além das habilidades tecnológicas, experiência com redes sociais tem crescido significativamente entre as 50 maiores empresas em todas as indústrias e funções, com 61% de crescimento ao ano. Análises estatísticas e mineração de dados nos setores da tecnologia e finanças cresceu 25%.

Veja o gráfico com as habilidades e experiências mais buscadas por indústrias:

Clique aqui para ver o artigo original

Jora Brasil

Jora Brasil