Jora Blog

O que fazer com seus contatos?

Raquel Rodrigues | Mar 24, 2017

O Facebook… confirmou que um usuário médio mantém 120 amigos estáveis

Comece sabendo quem são!

Talvez você não se lembre bem do seu primeiro dia de aula na creche ou um pouco maior já na escolinha. Eu não me lembro do jardim da infância, tenho alguns lampejos da pré-escola. Lembro que tinha um namoradinho, o Eric, e ele trazia guloseimas para mim.

Educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, faculdade, mercado de trabalho. Essas são algumas situações que nos proporcionam convivência com várias pessoas. Umas se aproximam, outras apenas participam do contexto. São círculos sociais onde estabelecemos contato, formamos nossa rede de relacionamentos.

O Número de Dunbar

Na década de 1990, o antropólogo britânico Robin Dunbar realizou um estudo para saber quantas pessoas em média alguém realmente conhece. O resultado mostrou que nós conseguimos interagir mais profundamente com cerca de 150 pessoas por período ao longo da nossa vida.

Com o advento das redes sociais, podemos afirmar tranquilamente que temos uma quantidade de conexões maior do que essa. Também é fácil perceber que, mesmo se tenhamos uma lista com mil contatos, regularmente devemos conversar com 40 ou 50 deles.

O Facebook, através de uma pesquisa conduzida pelo sociólogo Cameron Marlow, confirmou que um usuário médio mantém 120 amigos estáveis, dos quais 7 a 10 são mais próximos.

A questão é cognitiva. Nosso cérebro possui limitações em sua capacidade para lidar com um volume diário, intenso e complexo de informações. Por isso, em teoria, acaba por igualmente restringir nossas interações.

Mapeando sua rede

Conhecer pessoas é a primeira fase da Tríade do Networking e eu sempre questiono se conhecemos mesmo as pessoas que acreditamos conhecer.

E é justamente isso que devemos fazer com nossa rede: conhecê-la!

Para iniciar um mapeamento é preciso se organizar e priorizar. (1) Sugiro que você faça uma lista com as 7 ou 10 pessoas que considera suas melhores amigas e verifique se sabe no que cada uma atua, quais são suas paixões, se casou, tem filhos, quais são seus desafios, o que gostaria de aprender, se pode ajudá-la de alguma forma e entender se ela pode te ajudar nesse momento. Com as quais ficou com alguma dúvida, entre em contato para esclarecer ou marcar um encontro.

É interessante observar o quanto nos surpreendemos com essa análise, aproximação ou reaproximação e aprofundamento. Mesmo que fale com esses amigos todos os dias, faça perguntas que nunca pensou antes, que não sejam óbvias, e aproveite para contar da sua vida. Além de estreitar o relacionamento, talvez um deles esteja sabendo da oportunidade dos seus sonhos, mas sem a consciência de que poderia ligar você a ela.

Depois disso, (2) prepare uma nova lista com as pessoas que quer realmente conhecer melhor. É um processo contínuo.

(3) Defina um meio que seja simples para guardar e acessar todas as informações que lembrar e adquirir. Poupe seu cérebro e não confie na memória. Seja por dentro de uma plataforma online, software, aplicativo ou Excel, tenha no mínimo básico à sua disposição: nome, e-mail, celular, empresa, negócio ou atuação, expertise, aniversário, gostos e preferências, o que pode destacar de cada contato feito.

Esqueça a quantidade

Ser popular é diferente de se importar verdadeiramente com cada um que mantém na sua rede de contatos. Para nutrir seus relacionamentos é preciso investir tempo e esforço, agir com carinho.

Durante o cotidiano nossos autossabotadores se apresentam sem às vezes percebermos. Fuja do perfeccionismo! Deu vontade de ligar, ligue. Deu vontade de ver, veja. Ou pelo menos mande aquela mensagem para saber se o outro está bem.

Minha rede começou a se configurar a partir do ensino médio e, como as pesquisas mostraram, conforme escolho os rumos da minha vida há momentos que faz sentido estar mais perto de algumas pessoas do que de outras. Entender isso é um grande avanço, pois tira o peso de não estar falando com alguém querido como gostaria e traz a consciência de que pode ser simples reaver suas relações a qualquer tempo.

Infelizmente, o Eric ficou apenas na lembrança. Por isso, hoje utilizo de todas as formas possíveis para continuar presente na vida das pessoas, da melhor maneira que consigo e priorizando a qualidade de cada interação.

Ótimas descobertas e ótimas conexões!

Raquel Rodrigues

Raquel Rodrigues

Raquel Rodrigues é empreendedora, curiosa, criativa, escritora, palestrante, facilitadora, treinadora emocional e networker por vocação. Idealizadora do canal de conteúdo Conexões Verdadeiras