Jora Blog

A Tríade do Networking

Raquel Rodrigues | Jan 27, 2017

O que você precisa saber sobre as três fases com três dicas de ouro

Na Roda da Vida, ferramenta amplamente utilizada pelos Coachs, eu incluiria explicitamente o Networking. Simplesmente porque é parte de nossas vidas e, embora permeie as demais áreas, vejo que muita gente negligencia.

Engana-se quem pensa que não, que ignora só até precisar de uma recolocação ou ainda que acredita bastar participar de um ou outro evento, trocar meia dúzia de cartões, enviar alguns e-mails e apenas estar em grupos presenciais e virtuais.

Afinal, o que é Networking?

Tenho minha própria definição sobre o verdadeiro Networking, deixarei para um próximo artigo. Aqui vão duas valiosas definições, que gosto bastante e sempre cito.

Networking

“Formada pela palavra net (rede) e pelo gerúndio do verbo to work (trabalhar), ela designa o sistema de interação na rede de relacionamentos. Esse sistema compreende atitudes e procedimentos de convivência, cooperação e conjugação de informações e recursos, com o objetivo de obter algo para um ou mais membros da rede. Em termos bem pragmáticos, fazer networking é cultivar a rede de relacionamentos. Podemos dizer que o princípio dessa prática é assumir que vivemos em rede, somos todos conectados e estamos em interdependência”.

José Augusto Minarelli, Consultor de Carreira e em Gestão de Transição de Carreira, autor do livro Superdicas de Networking

Capital Social:

“O capital social é um patrimônio que construímos ao longo de anos de trabalho e está baseado principalmente na credibilidade que conquistamos e no que temos a oferecer às pessoas que fazem parte da nossa rede de contatos.

Quando investimos em capital social, estamos construindo uma reserva de forças que podem abrir portas e colaborar, de forma efetiva, para transformar nossas ideias em algo concreto e economicamente viável. O capital social é uma rede de suporte mútuo que podemos acessar sempre que precisarmos de alguém disposto a apostar suas fichas em nós.

Esta rede de apoio é fruto do nosso trabalho de Networking e do tempo que investimos ajudando pessoas da nossa rede a atingirem seus próprios objetivos”.

– Jorge Menezes, professor e pesquisador nas áreas de inovação, criatividade e competências para liderança”

Em suma, Networking é

Essa é a tríade!

Fase 1 – Conhecer pessoas

Para construir sua rede de relacionamentos é preciso conhecer pessoas, muitas até, mesmo as que você já “conhece”. Por que será que você conhece mesmo as pessoas que conhece? Pense bem.

Networking tem acontecido durante toda sua vida, na escola, na faculdade, no trabalho, no curso de idiomas, na academia, no clube, nas redes sociais, em passeios, em eventos e ao acessar esse blog. Sim, porque agora você pode me conhecer e aos demais autores.

Nesta etapa normalmente se trocam cartões de visita e informações preliminares, rola a famosa primeira impressão, para então cada um decidir se há interesse em continuar para a próxima fase.

Dica de ouro: Ter clareza sobre o que você busca tanto pessoal quanto profissionalmente irá facilitar suas escolhas, a geração de oportunidades e a encontrar as pessoas certas para apoiá-las.

Fase 2 – Criar relacionamentos

Conhecer uma pessoa é apenas isso, conhecer uma pessoa. Criar relacionamento é demonstrar uma intenção de continuidade.

Não é suficiente você querer e entender que será algo bom, o outro precisa sentir e entender o mesmo. É importante você entrar em contato para marcar um café ou um papo virtual com o objetivo de saber mais da pessoa, sua atuação e objetivos, de perceber melhor as afinidades, se há sinergia e se gosta dela.

Dica de ouro: O ideal é que saia de cada encontro com uma ideia bem clara de como pode ajudar, seja por meio do seu trabalho, expertise, talentos ou pela conexão com alguém que conhece.

Fase 3 – Manter o relacionamento

Apenas com o gostar é que se passa para essa fase. Para manter um relacionamento é preciso disposição e dedicação e nós só investimos tempo se tivermos nos conectado de verdade, nos conectado emocionalmente.

Por isso Networking é um trabalho contínuo de realizar algo de valor ao outro, de colaborar com atitudes constantes que estabelecem a confiança, gerando oportunidades mais consistentes e, consequentemente, melhores resultados.

Dica de ouro: Para continuar vivo na memória das pessoas, estabeleça uma frequência de interação virtual e presencial com seus contatos. Sempre que ver ou ouvir algo que possa interessá-los, como um artigo, um vídeo ou um restaurante novo, compartilhe com eles.

Esse é só o começo

A tríade funciona para ampliar nossa rede, fortalecer com os mais próximos ou ativar com os mais distantes.

Para começar, acredite no poder do Networking. Mantenha uma atitude positiva, seja solidário, gentil, espontâneo, proativo e útil. Busque se cercar daqueles que também estão realmente interessados em ajudar outras pessoas a resolverem seus problemas e não espere nada em troca. O processo acontece naturalmente e quando for sua vez de ser ajudado, será.

Em tempo, enquanto eu escrevia esse artigo resolvi me conectar pelo LinkedIn com o Jorge Menezes, que citei no começo, e ele aceitou prontamente meu convite. Quer saber o que eu disse e qual foi a resposta dele? Entre em contato.

Raquel Rodrigues

Raquel Rodrigues

Raquel Rodrigues é empreendedora, curiosa, criativa, escritora, palestrante, facilitadora, treinadora emocional e networker por vocação. Idealizadora do canal de conteúdo Conexões Verdadeiras